sábado, 17 de janeiro de 2009

SÃO PAULO OFERECE ATRAÇÕES CULTURAIS GRATUITAS EM COMEMORAÇÃO AOS 455 ANOS

Gustavo Dittrichi


Não é novidade que a cidade de São Paulo é pólo cultural e atrai turistas de diversos locais em busca da fervilhante vida noturna da capital e, é claro, das inúmeras opções culturais. São 280 cinemas, 120 teatros, 72 museus e 39 centros culturais, além da cidade também ser a Capital Mundial da Gastronomia, eleita em 1997 durante o 10º Congresso Internacional de Gastronomia, Hospitalidade e Turismo (CIHAT). É claro que agora que a cidade está completando 455 anos, no dia 25 de janeiro, não podiam faltar manifestações artísticas e culturais. E, para comemorar a data tão especial para os paulistanos, a agenda da capital está recheada de atrações.

As comemorações começaram no dia 11, domingo, com um espetáculo teatral itinerante, que começou no Páteo do Colégio e fez o trajeto por pontos históricos de São Paulo, como o mosteiro de São Bento. As intervenções artísticas, além de interagirem com o público, contaram a história da cidade através de curtos quadros, com muito bom humor.

Outro destaque cultural em São Paulo é a arte do graffiti. E é claro que esta manifestação de arte urbana tinha que estar presente nas comemorações: o artista plástico Eduardo Kobra está confeccionando, desde o dia 5 de janeiro, um mural com cerca de mil metros quadrados em um muro da Avenida 23 de Maio, uma das mais famosas da cidade. A obra, toda em preto e branco, traz uma cena paulistana da década de 20, e deve ser entregue no dia 25 de janeiro, dia do aniversário da cidade. Apesar dos lamentáveis acontecimentos envolvendo a lei Cidade Limpa – onde fiscais apagaram um enorme mural de graffiti dos Gêmeos, o trabalho de Kobra é mais um presente para a arte urbana da de São Paulo.

No dia 24 de janeiro, às 20h, a Casa das Rosas (Avenida Paulista, 37) prepara uma apresentação especial: é o projeto Poeta em Cena, que mistura teatro e poesia, homenageando autores contemporâneos por meio da encenação de seus poemas. A partir do dia 31 de janeiro, a temporada segue com apresentações aos sábados e domingos, até 15 de fevereiro, sempre às 20 horas. A entrada é gratuita, mas deve-se chegar com uma hora de antecedência para retirada dos ingressos.

Também dá pra aproveitar a data para conhecer pontos turísticos e históricos de São Paulo. O Centro Cultural São Paulo (Rua Vergueiro, 1.000, Paraíso) é um dos deles. Atividades como oficinas, peças de teatro, saraus e dança de salão completam as atrações do lugar. A programação teatral de janeiro oferece apresentações de terça a domingo. Entres os espetáculos estão “Entre Divas e Senhoritas”, “Quixote” e “Réquiem”.

O Museu da Língua Portuguesa, que ocupa parte do prédio da Estação da Luz, também é ótimo roteiro. Moderno, ele conta com as mais diversas atrações e recursos multimídia para mostrar a história e a importância da língua brasileira. Com as mudanças da reforma ortográfica, ele também sofrerá as devidas alterações. No primeiro andar, ficam exposições temporárias. Até o dia 1º de março, o museu abriga uma mostra sobre Machado de Assis.

Também têm a Pinacoteca do Estado, em frente da Estação da Luz e do Museu da Língua Portuguesa. Com um acervo de mais de 4 mil obras, destaca-se por reunir trabalhos de artistas como Cândido Portinari, Tarsila do Amaral e Di Cavalcanti. Para artes plásticas, também há o MASP (Museu de Arte de São Paulo). Além de dar uma voltinha na Avenida Paulista (o museu fica no número 1.578), principal via e ponto fervilhante 24 horas por dia da capital, conhecer o MASP é uma viagem pela cultura. Atualmente, abriga uma exposição do pintor brasileiro Cândido Portinari, incluindo seu quadro mais famoso, o "Retirantes", de 1944.

O Museu do Ipiranga é uma viagem pela história de São Paulo. Também conhecido como Museu Paulista, foi idealizado para ser um monumento à Independência do Brasil, no mesmo local onde ela foi proclamada, em 1822. O acervo do museu é histórico e reúne documentos e objetos do período de 1850 a 1950. Ele abriga, logo no primeiro andar, a famosa tela “O grito do Ipiranga”, de Pedro Américo. O prédio fica no Parque da Independência, no Ipiranga. A entrada custa R$ 4, mas todo primeiro e terceiro domingo do mês, a entrada é franca.

E não é só em pontos culturais como os museus e centros culturais que estão espalhadas exposições e atrações em homenagem a São Paulo. Quem utiliza transporte público já tem uma grande oportunidade de apreciar arte sem gastar muito: no Metrô e nos trens, o preço de R$ 2,40, da passagem, garante acesso para exposições como o Salão da Paisagem Paulistana, exposição que reúne 22 obras, entre desenhos, pinturas e xilogravuras, retratando algumas das paisagens mais conhecidas de São Paulo, como a Ponte Estaiada, o Parque do Ibirapuera, a Estação da Luz e o Bairro da Liberdade. A exposição está em cartaz na Estação Brás da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e fica por lá até 30 de janeiro.

Já no Metrô, é possível escapar da rotina diária e fazer turismo. Sim, é isso mesmo: o programa Turismetro oferece, aos sábados e domingos, cinco roteiros diferentes, que abrangem os principais cartões postais da região central de São Paulo e a Avenida Paulista. O trajeto é acompanhado por monitores bilíngues, que explicam sobre os locais visitados. E o preço é um bilhete magnético: R$ 2,40. Quem participa acaba saindo bem mais informado sobre o passado e a cultura da cidade – coisa que nem sempre se tem a oportunidade de apreciar.

FONTES: Verbena Comunicação, Gontof Comunicação, Assessoria de Imprensa da CPTM, Assessoria de Imprensa do Metrô, G1, Uol.

Por Gustavo Dittrichi

3 comentários:

Nick disse...

nessas horas até dói morar tão longe de são paulo >_<

0ooALEoo0 da silva sauro ximba disse...

nick tive a mesma opnião sua lendo este post, dói morar tão lçonge de sampa mesmo

nossa quanta coisa massa, fiquei lendo e só ficando na vontade de ir , uma pena mesmo não morar em sampa

Gustavo Dittrichi disse...

Pessoal!
Se não for TÃO longe, sempre dá pra tirar um dia e já fazer um roteirozinho cultural. De Metrô se chega em todo o lugar... Dá pra emendar o Museu da Língua Portuguesa, a Pinacoteca, o Museu do Ipiranga, o MASP e, por fim, o Centro Cultural numa viagem só! =D